Foto: Internet

O Núcleo de Francisco Beltrão do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná, denunciou o ex-prefeito de Honório Serpa e um empresário da construção civil pela prática dos crimes de corrupção passiva e ativa.A denúncia, já recebida pelo Juízo Criminal de Coronel Vivida(sede da Comarca), decorre da Operação Allage, deflagrada em 2017, para investigar possíveis crimes cometidos pelo ex-prefeito(gestão 2009-2012 e 2013-2016), alguns secretários de sua administração e empresários.

O então prefeito, em 2013, teria solicitado do empresário vantagem indevida de R$ 240 mil com a promessa de direcionamento de licitação para a construção de um ginásio poliesportivo, com valor estimado em R$ 950 mil. O empresário, que posteriormente firmou colaboração premiada com o Ministério Público, pagou R$ 100 mil, deixando de quitar o restante porque o município perdeu os recursos para a construção, que viriam de convênio com o governo federal. De acordo com o apurado, a propina adiantada pelo empresário seria reembolsada por meio de aditivos contratuais a serem formalizados no transcurso da execução do contrato.

OPERAÇÃO

Em abril foram cumpridos cinco mandados de prisão temporária e 12 mandados de busca e apreensão em cinco cidades: Honório Serpa, Catanduvas, Bom Sucesso do Sul, Pato Branco e Francisco Beltrão para investigar crimes de corrupção, fraude em licitações, falsidade ideológica, associação criminosa e lavagem de dinheiro, entre outros, praticados na administração municipal de Honório Serpa.

Além do ex-prefeito de Honório Serpa, são suspeitos de envolvimento quatro funcionários ou ex-funcionários da prefeitura local. Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos em residências e escritórios dos investigados, sendo apreendidos documentos, armas e munições. Uma outra pessoa também foi presa em flagrante por posse ilegal de arma de fogo. ( fonte: MPPR)