AGROLINK – As exportações brasileiras de carne suína, incluindo os produtos in natura e processados, cresceram 19% em abril, totalizando 72,8 mil toneladas, segundo informações que foram divulgadas pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Os números foram analisados em comparação com o mesmo período de 2019, quando foram exportadas 61,1 mil toneladas.

Nesse cenário, levando em consideração a receita, a alta é ainda maior, chegando a 31,9%, com total de US$ 165,2 milhões em abril de 2020, contra US$ 125,2 milhões no mesmo mês de 2019. “No primeiro quadrimestre de 2020, as exportações brasileiras de carne suína totalizaram 280,8 mil toneladas, volume 28,4% superior ao registrado no mesmo período de 2019, com 218,7 mil toneladas”, comenta.

Sendo assim, a receita das exportações no ano chegou a US$ 650,3 milhões, número 53,5% superior ao registrado no mesmo período de 2019, com US$ 423,6 milhões. “A crise sanitária de Peste Suína Africana iniciada na China em 2018 segue pressionando positivamente as vendas para as nações da Ásia, onde foram registradas as maiores altas nas exportações, amenizando as elevações de custos de produção”, analisa Ricardo Santin, diretor-executivo da ABPA.

Em relação à saúde animal, o Serviço Federal Veterinário Suíço reportou a Organização Mundial para Saúde Animal (OIE) dois surtos da síndrome reprodutiva e respiratória dos suínos (PRRS) no país. Conforme o relatório, o movimento desses animais foi proibido.