Em cumprimento às exigências da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), a Prefeitura de Pato Branco, apresentou, em audiência pública, na Câmara Municipal de Pato Branco, nesta quinta-feira (28), o relatório da gestão fiscal do primeiro quadrimestre de 2020, do Poder Executivo, à Comissão de Orçamento e Finanças (COF). No quadrimestre, segundo os dados apresentados pela administração municipal, a receita arrecadada foi de R$ 121.341.995,98 e a despesa foi de R$ 107.004.287,27, o que gerou um superávit de R$ 14.337.708,71. O valor de convênios empenhados a receber somou R$ 1.745.741,05, com isso, o superávit passou para R$ 16.083.559,76.

A audiência foi presidida pelo vereador Carlinho Antonio Polazzo (DEM), presidente da Comissão de Orçamento e Finanças (COF), juntamente, com Gilson Feitosa (PT) e Vilmar Maccari (Podemos) – membros do COF, bem como, dos vereadores Amilton Maranoski (PL), Claudemir Zanco (PL), Fabrício Preis de Mello (PSD), Joecir Bernardi (PSD), Moacir Gregolin (Republicanos) e Rodrigo José Correia (Podemos). Também estiveram presentes o vice-prefeito, Robson Cantu, secretários, servidores municipais e a imprensa.

A prestação contou com dados de janeiro a abril e, de acordo com o assessor de Programas e Metas da Secretaria Executiva, Cleverson Malagi, “os reflexos da pandemia ainda não ficaram evidentes neste momento, mas serão percebidos nas próximas prestações”. Ele explicou, ainda, que será o primeiro ano que a prestação de contas está sendo feita de forma consolidada, ou seja, constando todas as despesas do Executivo, Legislativo e Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Municipais (PatoPrev).

Demonstrativo

Entre os principais demonstrativos apresentados, destacam-se os investimentos com pessoal que, de acordo com a prestação de contas, aponta que, no primeiro quadrimestre de 2020, o montante foi de R$ 133.861.279,08, ou seja, 42% da receita corrente líquida, que registrou R$ 318.736.583,71.

Quanto a saúde e educação, que tem como base para investimentos, impostos, dívida ativa do IPTU e ISS, multas e juros do IPTU, ISS e da dívida ativa, ITR, IPVA, FPM, IPI, ICMS e ICMS Desoneração, a receita total foi de R$ 70.573.107,38, desses, 26,24% foram investidos em saúde, ou seja, R$ 18.518.821,25, e 18,89% em educação, correspondendo a R$ 13.328.792,42.

Fonte e Foto: Laiane Carniel / CMPB